AMTU web

 


silvio veio

Sílvio apresentou moção contra os pedágios impostos por Zema

O vereador Silvio de Assis, do MDB, apresentou Moção de Repúdio contra a concessionária EPR Sul de Minas e a Secretaria de Estado de Infraestrutura pela cobrança exorbitante da tarifa de pedágio. Colocada em votação, a moção foi aprovada e recebeu a assinatura de todos os vereadores. Silvio afirmou que os pedágios impactam muito na vida das pessoas, como agricultores de pequeno porte, condutores, donos de chácaras que moram nas redondezas e que precisam vir a Poços todos os dias, além de moradores com câncer e que fazem tratamento no Cacon, assim como estudantes.

"Este é um presente que o Sul de Minas recebeu e, com certeza, vai dar muito o que falar porque encareceu demais para se chegar e sair da cidade e principalmente para os moradores próximos dessas praças de pedágio", disse o vereador. O petista Diney Lenon afirmou que temos um governador que terceiriza responsabilidades e citou como exemplo na educação em que está sendo privatizado o ensino médio, o ensino fundamental que está abrindo mão de responsabilidades e agora, os pedágios.

"Isso tem nome: opção de governo. O governo decidiu colocar essas tarifas e a população que lute. A moção vai para a concessionária que põe este preço absurdo, porque o contrato feito pelo governo permite isso, então a responsabilidade é do Romeu Zema", enfatizou.

Denúncia arquivada

Em suas redes sociais o vereador Diney Lenon divulgou um documento que recebeu do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, em que a entidade foi comunicada pelo presidente da Câmara, vereador Douglas Dofu, de que aquela denúncia feita contra ele, de ter ofendido uma servidora durante a votação do regime estatutário, foi arquivada. "Esse processo não existe mais na Câmara. Este processo existe agora onde? No Fórum, onde essa pessoa vai participar de uma audiência e começar a responder civil e criminalmente pela calúnia que ela inventou", garantiu Diney. Segundo ele, o documento é para provar que continua seu trabalho "de forma muito correta, em defesa dos servidores, em defesa da classe trabalhadora, em defesa das pessoas que mais precisam e contra mentiras e perseguição".

Cidade diferente da apresentada pelo prefeito

"Hoje vendo aqui a fala do prefeito, pedi para alguns secretários me passarem o endereço da cidade que ele estava apresentando aqui, porque não é a Poços de Caldas que nós conhecemos", ironizou o vereador Lucas Arruda, da Rede. Ele reconheceu que há muita coisa positiva, mas que está longe de estar atendendo todos os anseios da população, que "tem sofrido muito, principalmente na área da saúde". As reclamações, segundo ele, têm tido um aumento significativo nessa área. "É inadmissível uma pessoa precisar de um exame para diagnosticar se o seu câncer parou ou evoluiu e ter a informação da Secretaria de Saúde de que não tem previsão para ser marcado o exame, que pode ser daqui a 3, 4 meses e todos nós sabemos que quanto antes você começar um tratamento oncológico, maior a chance de resultado positivo. Como você vai dizer para uma pessoa que já tem essa doença, que tem que esperar, porque a cota da secretaria acabou?", questionou Lucas.

Exaltado, o vereador afirmou que não tem que ter cota para este tipo de exame e que ir a Câmara e falar que está tudo bem e que não tem reclamação é porque não conhece a realidade da saúde em Poços.

Situação do aterro volta a ser tema de discussão

"O prefeito veio apresentar o mundo maravilhoso em que ele vive, mas se esqueceu de falar que mais de 80 pessoas tiravam seu sustento do nosso aterro. Não vou entrar no mérito da viabilidade daquelas pessoas naquele local, da questão de insalubridade, da questão ambiental que fez com que o aterro fosse fechado, vou entrar numa questão humanitária", afirmou Diney Lenon na sessão da Câmara desta terça-feira. O vereador afirmou que quer saber o que o prefeito ordenou para a sua equipe em relação a essas famílias, porque até cesta básica vencida elas receberam. "Até feijão com caruncho receberam. Queria saber, quando o prefeito pensa em fechar um setor que, querendo ou não, gera uma renda, o que ele pensa sobre as pessoas que ocupam aquele espaço? Que elas não são nada? Porque a gente recebe reclamações cotidianamente dessas pessoas que se sentem abandonadas", informou.

   EM OFF   

* A vereadora Regina Cioffi pediu informações do executivo sobre o serviço de Cata Treco. Através de requerimento a vereadora solicita detalhamento de como é realizado este serviço; destino dos objetos recolhidos; número de servidores e de veículos utilizados na prestação deste serviço; localidades em que acontecem; se existe alguma restrição em se negar o recolhimento dos materiais e se o município possui convênio com entidades para a prestação do serviço.

* Sobre a denúncia de comida estragada aos servidores da UPA, a prefeitura informou que, devido as denúncias feitas pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, vai notificar a empresa que fornece marmitas para a UPA. De acordo com a denúncia, as marmitas servidas à noite de segunda-feira, naquela unidade de saúde, estavam estragadas, impróprias para o consumo e com cheiro ruim.

* Na rádio pião, servidores municipais estão malhando o prefeito Sérgio Azevedo pelo fato de não ter decretado ponto facultativo, ou pelo menos expediente, no dia 13, quarta-feira de cinzas. As críticas se estendem também para os dias 24 e 31, respectivamente vésperas de Natal e Ano Novo, quando decretou meio expediente, das 8 as 12 horas, ao invés de ponto facultativo. Como neste período praticamente não será mais prefeito, a medida está soando como uma espécie de vingança pelo fato de os servidores terem eleito uma chapa de oposição no Sindserv. Será?

* Por outro lado, no seu pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira, abrindo o ano legislativo, o último do seu mandato, o chefe do executivo foi só elogios para os vereadores, fazendo questão de destacar que tudo aquilo que fez não seria possível sem a colaboração da Câmara. Adotou neste último ano de governo o estilo paz e amor com os nobres vereadores, tanto da situação como de oposição.

* Quem acompanha os bastidores do grupo da situação no que diz respeito a escolha do nome para disputar a sucessão de Sérgio Azevedo fica com a nítida impressão de que está havendo uma disputa interna entre o vice-prefeito Júlio de Freitas e o secretário de governo Paulo Ney, para ver quem será o indicado. Paulo Ney, que está filiado ao PSDB, conta com o apoio do ex-deputado Carlos Mosconi e do grupo de cabeças brancas, enquanto que Tio Júlio é o preferido pela outra parte do grupo liderada por Tiago Cavelagna e Antonio Donizetti.

* Por falar no vice, durante entrevista ao assessor de imprensa da ACIA, ao ser perguntado qual seria o papel do atual prefeito no seu governo, caso seja eleito, Júlio foi claro ao afirmar que ele seria uma espécie de consultor para assuntos administrativos porque conhece, como servidor de carreira, as diversas repartições municipais. Na verdade, passou a conhecer após ser eleito prefeito, porque antes disso, conhecia apenas a secretaria de obras.

* O fato de Júlio, num provável governo caso sela eleito, afirmar que o seu antecessor seria consultado em ações administrativas não significa que será comandado por ele. Quem conhece o vice sabe que ele tem opiniões próprias, até não concorda com algumas ações do prefeito e as discute internamente, ao contrário do vice durante o primeiro mandato, o professor Flávio Faria, que passou os quatro anos do mandato fazendo oposição declarada ao chefe do executivo. Ouvir o então ex-prefeito seria uma forma de respeito e agradecimento com aquele que apadrinhou o seu ingresso na política.

* A forte chuva que caiu na cidade na tarde de ontem alagou a avenida Magda Pinto Amarante, no bairro Jardim das Azaleias, na zona leste da cidade, arrastando duas motos, que só não foram levadas pelas águas devido a intervenção de moradores. O secretário de Obras, José Benedito Damião, informou que uma equipe fará uma vistoria no local nesta quinta-feira para estudar o que pode ser feito naquela via e tomar medidas imediatas com relação ao problema.

* O líder do governo na Câmara Municipal, vereador Wellington Paulista, está preocupado com a proliferação dos aguapés na represa Bortolan. Em requerimento, o vereador afirmou que a represa é muito frequentada por moradores e turistas, em especial praticantes de esportes náuticos e pesca, cujas práticas estão prejudicadas em decorrência da infestação da planta, que se prolifera rapidamente, inclusive retirando os nutrientes da água