Anuncio_-_Tribuna_Zona_Leste_-_Alcoa_59_anos-portal.jpg


 

diney x

Vereador Diney tem agenda movimentada em Brasília

O vereador Diney Lenon postou nas redes sociais sua agenda em Brasília neste fim de semana. Pela publicação, neste sábado ele vai até a sede da Polícia Federal, acompanhado do vereador Silvio de Assis, para fazer a entrega do relatório final da CPI da Saúde, instalada para apurar irregularidades na secretaria de saúde do município. No domingo, visita o DNIT, buscando melhorias para a avenida Wenceslau Braz.

Ainda na capital federal mantém contatos com deputados em busca de recursos e projetos para Poços. Diney estará acompanhado do vereador Sílvio de Assis, presidente da comissão de investigação, cujo relatório foi redigido por Diney.

Pedágios em operação

Tem início neste sábado a operação da praça de pedágio localizada no km 622,8, da MGC-146, em Poços de Caldas. Os motoristas que trafegam pela rodovia que liga Poços de Caldas a Andradas, devem ficar atentos. A tarifa custará R$ 9,20. A empresa concessionária do serviço, EPR Sul de Minas, informa que na primeira passagem pelo pedágio o valor será integral da tarifa e a partir da segunda passagem pela mesma praça, no mesmo sentido, o motorista terá desconto.

Outros pedágios em funcionamento na região estão localizados no km 40,5 da BR 459 em Caldas, no km 80,9 de Senador José Bento e no km 117,3 em Santa Rita do Sapucaí.

Denúncias "sem pé, nem cabeça"

O secretário de saúde, Thiago Mariano, disse que foi "um monte de coisas, sem pé nem cabeça" denunciadas pelo vereador Flávio Togni de Lima e Silva (PSDB) na questão do contrato com a Santa Casa de Salto de Pirapora.

"Ele fala que estamos fazendo um aditivo do contrato de R$ 100 milhões, mais R$ 30 mil, isto não é verdade. Nunca foi sugerido isto. O contrato teve um aditivo porque tivemos que caminhar para a atenção básica de forma que não estávamos dentro do PSFs, por falta de médicos e de estrutura. Fizemos um aditivo de 7% do contrato, que no total chegou a R$ 5 milhões, R$ 500 mil mês, muito longe de R$ 30 milhões", garantiu o secretário. Outra questão que o vereador afirma, segundo o secretário, é que estariam sendo praticadas reformas que não estavam previstas.

"Isto não é verdade. Toda reforma foi feita dentro de uma previsibilidade do plano de trabalho. O contrato é uma coisa, o plano de trabalho é outro. O contrato é bem genérico, até porque o dia a dia é bem dinâmico, e as coisas vão acontecendo", justificou Thiago.

Em defesa da fiscalização

Sobre a documentação que o vereador Flavinho diz ter em mãos, o secretário de saúde afirmou que ele pode continuar com as pesquisas e fazendo seu trabalho de fiscalização. "De forma alguma eu sou contra investigações. Eu sou a favor. Estamos falando de um montante de dinheiro público muito substancial, é muito dinheiro envolvido, temos os controles internos, temos a comissão interna de fiscalização do contrato, temos a fiscal do contrato, temos o controle interno da prefeitura que faz todo o acompanhamento e fora isso tem o Conselho de Saúde, Câmara Municipal, Ministério Público, Tribunal de Contas, temos mesmo que prestar contas de todo dinheiro que está sendo gasto na saúde", defendeu. Thiago garantiu que tem a maior tranquilidade em falar que tem convicção de que está tudo certo, bem aplicado e sendo feito de uma maneira que beneficia a população.

Intervenção municipal

Para o secretário de Saúde, Thiago Mariano, a intervenção municipal da Santa Casa de Salto Pirapora deu munição para quem é contra o convênio celebrado com Poços. "Para quem queria achar uma brecha para denegrir este trabalho que estamos fazendo, achou munição nesta intervenção necessária. Eu acho que ninguém traz na testa escrito se é bom ou ruim. Quando a gente faz um contrato dessa magnitude tem que se cercar de amparos legais, por que quem garante que não vai dar problema? Nos 7 anos que fui gerente de banco uma coisa que o diretor sempre falava é que até o momento em que você conquista um cliente, abre uma conta, vê se a pessoa não tem restrição, nem nada, ela é boa até aquele momento, não é garantia nenhuma de que vai continuar sendo boa depois", afirmou o secretário.

Segundo ele, por isso é preciso se cercar de medidas legais para poder fiscalizar este contrato, já que a responsabilidade de gestão do contrato é do município.

Namoro político e possível candidato

Questionado se pode haver um "namoro político" entre ele e a vereadora Regina Cioffi, o secretário de Saúde, Thiago Mariano, afirmou que tudo começa a partir do momento em que há respeito, lealdade, confiança e uma certa admiração a pessoa política.

"Existe, sim, este respeito, esta admiração, essa confiança na doutora Regina, assim como existe com o vereador Paulista, com o vereador Claudiney, com vereadores que estão apoiando, que estão no dia a dia dando apoio, dando sustentação . É possível sim", declarou.

De acordo com Thiago, por tudo isso que anda acontecendo, uma coisa ele sabe, vai estar junto com o grupo do prefeito Sérgio.

"Estou como um possível candidato, mas acima disso, estou como um soldado do grupo do prefeito Sérgio, sendo qualquer um dos indicados. Se for o Tio Júlio tenho o maior respeito e carinho e vou estar na linha de frente para poder fazer campanha, se for o Paulo Ney da mesma maneira, é um amigo que respeito muito, se for a doutora Regina, com todo amor e dedicação. Têm muitas pessoas boas, eu me coloco entre elas, não vou tirar o meu da reta. Lógico que todo mundo se sente orgulhoso dessa oportunidade, mas só de fazer parte desse grupo vitorioso, que está mudando a cidade, já é motivo de muito orgulho", garantiu o secretário. 

   EM OFF   

* Os vereadores Diney Lenon (PT), e Silvio de Assis (MDB), estarão hoje em Brasília com a finalidade de entregar o relatório final da CPI da saúde ao chefe da Polícia Federal e em seguida irão a sede do DNIT, pedir ajuda para melhorar as condições da Avenida Wenceslau Braz, trecho urbano de rodovia federal. A única coisa estranha é o fato de terem escolhido um sábado para cumprir esta agenda.

* Nem tudo vai mal no setor de informática da prefeitura, após o ataque dos hackers no servidor da empresa Sonner. Pelos lados da secretaria de Defesa Social, responsável pelo trânsito, a arrecadação com a indústria das multas continua a todo vapor e os computadores não foram afetados, continuando o trabalho normal de processamento das infrações e expedição dos avisos aos motoristas. Nos últimos seis meses a arrecadação atingiu R$ 3,3 milhões. Enquanto isso os semáforos continuam apresentando problemas e não raras vezes estacionam e ficam no vermelho, obrigando os motoristas a avançar o sinal.

* O blog recebeu várias mensagens de leitores que dizem estar de acordo com a afirmação feita ontem de que a responsabilidade pela análise de contratos firmados pela prefeitura firmados com terceiros cabe a Controladoria e a Procuradoria Geral e não ao secretário da área, cuja responsabilidade, antes da assinatura do contrato é a de solicitar pareceres destas duas secretarias. E o parecer não pode ser genérico, como é costume na Procuradoria, precisa ser individual e específico para casa caso analisado

* E’ o caso do convênio assinado entre a secretaria de saúde com a Santa Casa de Misericórdia de Salto de Pirapora. Não adianta o secretário ou o prefeito dizer que está tudo legal, tudo dentro dos conformes. Quem precisa afirmar isso são os responsáveis pela Controladoria e Procuradora Geral do Município, de forma clara e muito transparente, além de acompanhar de perto como o secretário, responsável pelo contrato, está gerindo as ações derivadas deste convênio. É isso, ficar batendo boca através da imprensa não é o melhor caminho e só serve para desgastar a administração.

* Na opinião de atentos observadores da cena política sulfurosa, um candidato que represente uma terceira via, ou seja, que não tenha ligação com o grupo que está no comando do executivo e também que não esteja ligado ao grupo de oposição, poderia vencer, até com certa facilidade a eleição de 2024. Já está mais ou menos claro que o eleitorado não deseja a continuidade do que está aí, mas também não quer a volta do PT ao governo. É preciso encontrar alguém que represente o novo, como aconteceu com o Eloisio, em 2022, por exemplo.

* De um empresário, ontem, no Café Sete Quedas: com a autoestima do prefeito e a pesquisa da vereadora Regina, alguém poderia ser eleito Presidente da República.

* Poucos vereadores se dispuseram a comparecer ontem, na audiência pública destinada a prestação de contas sobre a utilização de recursos por parte da secretaria de saúde e na plateia, estavam apenas alguns servidores do setor.