Anuncio_-_Tribuna_Zona_Leste_-_Alcoa_59_anos-portal.jpg


 

pcm

O ex-prtefeito Paulinho Minas vem ganhando destaque no cenário político local

Na série entrevista com os ex-prefeito, o programa Hora da Verdade, da TV Poços, entrevistou nesta semana Paulinho Couro Minas, que comandou a prefeitura de 2009 a 2012. Segundo ele, melhor do que ser prefeito foi ter sido vice-prefeito de Sebastião Navarro. "Era uma relação de pai e filho, sempre me dando muita liberdade e dizendo que erámos dois prefeitos. Ele dizia que eu nunca devia afirmar que era vice prefeito, mas prefeito junto com ele", relembrou. Paulinho reconheceu que só foi prefeito graças a Navarro e ao grupo político que tinha Carlos Mosconi e Geraldo."Foi uma vitória esmagadora. O maior número de votos que um prefeito já teve foi naquela eleição", afirmou.

Mandato solitário

Do segundo ano de mandato para frente, Paulinho disse que foi acumulando problemas. "Quando você passa do segundo para o terceiro ano começam os bochichos de quem será o próximo prefeito e eu entendia que a gente estava em momento bacana e que era natural que eu me candidatasse à reeleição, porque caminhávamos bem, mas começaram os trabalhos de bastidores, não digo de traição, de movimento que tomava outro rumo e eu estava ficando meio encostado, estavam me abandonando, me deixando sozinho", lamentou.

Neste processo, Paulinho disse que acabou ouvindo pessoas erradas. "O mandato de prefeito é muito solitário. As pessoas não têm ideia de quanto aquela cadeira e mesa são solitárias. Está envolto de um monte de pessoas, mas ao mesmo tempo é muito solitária, momento em que você fica em uma angústia danada. Eu estava muito sozinho e acabaram se aproximando pessoas que eu acabei pegando na mão, não foram as pessoas corretas, acabei ouvindo-as, houve o conflito e o afastamento. Moral da história: todo mundo perdeu, a cidade perdeu", lamentou.

Lideranças na política

Além de citar Sebastião Navarro como tendo sido uma grande liderança, apontou também Ronaldo Junqueira, Roberto Junqueira e Gustavo Frayha. "Acho o Paulo Tadeu uma referência da esquerda em Poços. O Luiz Antonio também é uma referência de homem público e que fez uma grande administração, mas no geral, na minha opinião, com quem eu convivi, o doutor Sebastião Navarro foi uma grande referência como deputado federal, deputado estadual, secretário de Estado, político local, liderança regional e liderança estadual", analisou Paulinho Couro Minas.

De acordo com ele, hoje, Sérgio Azevedo caminha para um protagonismo de ser um prefeito que está realizando muito e que deve ocupar este espaço regional, porque é uma referência. "Não estou falando isso porque participo do governo. Nos primeiros quatro anos ele teve muitas dificuldades, trabalhamos muito para que este quadro se revertesse e grande referência disso é que ele se reelegeu. Agora neste segundo mandato está dando show e fazendo um grande trabalho", afirmou Paulinho.

Vereador e ex-prefeito pagam multas por ofensas ao prefeito

Em virtude da ofensa sofrida na data de 16 de março de 2023 na proximidade dos carrinhos de lanche, o prefeito Sérgio Azevedo ingressou com notícia-crime contra o vereador Diney Lenon de Paulo e o ex-prefeito Paulo Tadeu Silva D’acardia, em razão da prática da suposta infração contida no artigo 331 do Código Penal (desacato a funcionário público).

Como o crime é de menor potencial ofensivo, o Ministério Público propôs o pagamento de R$ 660,00 (seiscentos e sessenta reais) para cada acusado. Este valor é destinado a uma instituição de caridade da cidade. Os valores foram pagos pelos dois envolvidos na ofensa e a sentença homologando a Transação Penal foi proferida na data de 19de outubro de 2023.

A transação penal nada mais é do que um acordo proposto pelo Ministério Público quando o crime praticado for de “menor potencial ofensivo”, os quais possuem pena máxima em abstrato de 2 (dois) anos. Contudo, os envolvidos não possuem mais direito ao mesmo benefício pelos próximos 05 (cinco anos).

   EM OFF   

* Seguindo orientação do seu amigo Marcelo Aro, principal estrategista politico do governo Romeu Zema, a vereadora Regina Cioffi está se fortalecendo para pleitear uma candidatura a prefeita ou vice, na chapa que vai disputar a sucessão municipal pelo grupo comandado pelo prefeito Sérgio Azevedo. Além do PP (Partido Progressistas), a vereadora está investindo também para assumir o Podemos em Poços, tirando o partido do ex-vereador Rovilson de Lima. A estratégia seria assumir a legenda colocando na sua comissão executiva pessoas da sua confiança. Chegou a pedir até o boleto para efetuar o pagamento no sentido de renovar a comissão provisória do Podemos em Poços.

* A servidora que foi ofendida pelo vereador-pastor Roberto dos Santos (republicanos), que a chamou de gorda e pediu que se retirasse da plateia na sessão de sexta-feira, quando a votação do novo regime jurídico dos servidores, registrou um boletim de ocorrência contra ele. O fato será apurado pela polícia e deve se transformar em um processo. No que diz respeito à Câmara, o vereador Marcelo Heitor, que também é evangélico e Corregedor do legislativo, está na obrigação de analisar a denúncia e tomar as providências que o caso exige. A servidora confirmou a denúncia e o registro policial em reportagem levada ao ar pela TV Plan.

* A reunião com o prefeito Sérgio Azevedo, na manhã desta segunda-feira, foi considerada como muito produtiva e extremamente cordial pelo deputado Rodrigo Lopes, que de tanta satisfação, até agendou almoço na Churrascaria Pampa após deixar a casa amarela, com os companheiros de partido, Tiago Cavelagna e Douglas Dofu, mais a sua assessora Diva Funchal.

* No entanto, o vice-prefeito, Júlio de Freitas, também filiado ao União Brasil e cotado para ser o candidato a prefeito em 2024, não esteve presente tanto na reunião no gabinete, como no almoço, o que fez aumentar a especulação em torno de uma futura estratégia para esvaziar o União Brasil em Poços.

* Na próxima janela partidária, está praticamente certa a desfiliação do vereador Paulista, que já acertou sua ida para o Republicanos, comandado pelo deputado Mauro Tramonte. Quanto ao pastor Wilson Silva, este não será mais candidato, dando lugar a pastora que é esposa do pastor Paulo, da Igreja Quadrangular que será a candidata em seu lugar e não deverá ser pelo União Brasil.

* Caso isso aconteça a legenda ficará apenas com o vereador Douglas Dofu, até porque a possível debandada incluiria a saída também do vice-prefeito Júlio de Freitas que nesse caso sairia candidato a prefeito por outro partido. A estratégia teria como pano de fundo evitar o crescimento do deputado Rodrigo Lopes em Poços de Caldas e esvaziar a liderança do vereador Dofu, repetindo estratégia similar ao adotada no antigo Democratas e que encerrou a carreira política do então vereador Antonio Carlos Pereira.

* Encarregado de reorganizar o PSD na região, o ex-prefeito Geraldo Thadeu, assessor parlamentar do senador Rodrigo Pacheco, teve a primeira reunião com Thiago Mariano, presidente da extinta comissão provisória da legenda na cidade. Mariano até poderá continuar na presidência, mas com certeza, Geraldo indicará alguns nomes da sua confiança para compor a nova comissão provisória.

* Alguns observadores da cena política sulfurosa andam estranhando a liberdade que o prefeito Sérgio, que não costuma dividir holofotes, está dando para o secretário de saúde Thiago Mariano, que está em campanha para se tornar mais conhecido e com isso aumentar a chance de ser indicado candidato a prefeito. O problema lá na frente é que o secretário, entusiasmado com um possível sucesso, pode se lançar candidato, mesmo contra a vontade do prefeito.

* Por meio de um processo de inexigibilidade, a prefeitura de Poços está contratando a empresa Pedra dp Sino Consultoria e Eventos Ltda. localizada no Distrito de Pedra do Sino, na cidade de Carandaí-MG para a realização do evento denominado Copa Internacional de Montain Bike 2023/2024. Valor da contratação R$ 630.000,00.

* A empresa Grant Thornton Auditoria e Consultoria, responsável pela análise dos documentos na CPi da saúde apontou irregularidades em diversos contratos de licitações onde aparecem o CNPJ de uma mesma empresa em contratos de diferentes empresas assinados pelos mesmos empresários. O vereador Silvio de Assis, presidente da comissão disse que os valores apresentados não são exatos porque muitos documentos que foram solicitados ao executivo não foram entregues. As denúncias iniciais apontavam que, em três meses, alguns médicos receberam cerca de R$ 90 mil em horas extras ou plantão, mais um salário médio de R$ 30 mil. Nesse período, uma médica chegou a receber por 75 consultas em um único dia.

* Hoje pela manhã o diário oficial do município continuava fora do ar. Mas este não é o problema mais grave que a secretaria de Administração está enfrentando por conta de problemas no aparelho Servidor da empresa Sonner. A questão mais grave está no fato de que uma pane no aparelho pode ter ocasionado a perda de toda a documentação digital desde o dia 15 de setembro. Funcionários da empresa e da própria secretaria estão empenhados em recuperar o material e para isso estão trabalhando dia e noite no problema desde o último sábado.

* Qualquer semelhança com a novela sobre o nosso Monotrilho, é mera coincidência

* O vereador Diney Lenon gravou e publicou ontem, nas redes sociais, vídeo onde acusa os vereadores Paulista, Kleber e Claudiney de pediram quase 60 dias para lerem 14 linhas, sendo que o relatório técnico da CPI da saúde está disponível desde 30 de agosto. "Blindagem do prefeito"? Indaga o vereador. “Não adianta, se votarem contra o parecer, encaminharei da mesma forma para a Polícia Federal”, disse Diney.