Anuncio_-_Tribuna_Zona_Leste_-_Alcoa_59_anos-portal.jpg


 

amt

Mauro Tramonte: basta de violência nas escolas

"Estou aqui para me solidarizar com a cidade de Poços de Caldas e também com as famílias que foram afetadas com este trágico acontecimento", manifestou o deputado estadual Mauro Tramonte, no triste episódio da Escola Dom Bosco. O parlamentar disse que "isso tem que acabar e que não pode continuar desse jeito" e que em Poços de Caldas nunca aconteceu um fato dessa natureza. "Temos que fazer de tudo para que isso não venha mais acontecer. Claro que amedronta a todos, se trata de uma coisa complicada e recebi isso como uma verdadeira bomba e fico muito triste com tudo isso", lamentou Mauro.

Tramonte lembrou que apresentou um projeto, que ainda está em análise na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, instituindo a campanha permanente contra armas brancas dentro das escolas. "Acho que tem que ser feito muito mais do que isso. Temos que nos dar as mãos e achar alguma saída para isso não aconteça mais para evitar isso. Recebam aqui meu grande abraço, meus sentimentos por este ato terrível, abominável e triste que aconteceu em nossa querida Poços de Caldas", afirmou Tramonte.

Isenção de pedágio

O prefeito de Caldas, Ailton Goulart (PMDB), está questionando a concessionária EPR Sul de Minas, através de notificação extrajudicial, pelo início de cobrança de pedágio, mesmo com trechos da rodovia ainda em obras. Também daquela cidade, o vereador Daniel Tygel (PT) lançou o Movimento Caldas em que propõe tarifa zero na cobrança de pedágio para os moradores de Caldas, Santa Rita de Caldas e Ipuiuna. Segundo ele, os moradores dos três municípios, que circulam diariamente pela BR 459, não dispõem de recursos financeiros para arcar com o pedágio que tem tarifa básica de R$ 4,60 para carros e de R$ 9,20 para motos.

Juiz determina paralisação de obra da BRZ

Nesta quinta-feira o juiz de Direito Carlos Alberto Pereira da Silva, determinou a paralisação imediata da obra no empreendimento “Portal Encantos de Nápoles” realizada pela empresa “BRZ Empreendimentos” no residencial Tiradentes, localizado na zona suil.. A decisão veio após um incidente no início de outubro, no qual um grande volume de terra deslizou do talude de aterro dos fundos de uma residência, causando danos ao imóvel.

O deslizamento de terra, que ocorreu em meio a fortes chuvas, resultou na invasão do quintal com lama e na queda de parte do muro da casa. Felizmente, não houveram vítimas ou feridos no incidente, mas a situação gerou preocupação em relação à segurança da área.

O caso envolveu a atuação das advogadas Paula Carolina Souza Modesto e Renata Modesto Souza, que pleitearam a assistência judiciária para os moradores afetados. Documentos, incluindo fotos e vídeos, apresentados na ação judicial indicaram que o deslizamento estava relacionado às obras em andamento no empreendimento “Portal Encantos de Nápoles” da BRZ Empreendimentos.

A paralisação da obra foi determinada, com exceção das medidas de contenção e reparo necessárias. A empresa BRZ Empreendimentos terá que cumprir a ordem do juiz e garantir que a segurança da região seja adequadamente restaurada.

A Defesa Civil, juntamente com um engenheiro, foi convocada para avaliar a situação e indicar as medidas necessárias a serem tomadas para proteger a residência afetada e seus moradores. A empresa responsável pelo empreendimento também terá a oportunidade de apresentar sua defesa no prazo legal estabelecido pela lei.

Este episódio destaca a importância da segurança em obras de construção civil e a necessidade de garantir que os empreendimentos estejam de acordo com as normas e regulamentos aplicáveis, evitando incidentes que coloquem em risco a vida e o patrimônio das pessoas.

Secretária divulga manifesto de solidariedade

A secretária municipal de Educação, professora Maria Helena Braga, divulgou vídeo nas redes sociais manifestando solidariedade a comunidade escolar do Dom Bosco.

"Deixo aqui todo meu carinho àqueles que estão envolvidos e sofrendo a dor desse atentado. Eu só espero que Deus esteja no comando sempre e que salve os que estão internados no hospital. Quero deixar um abraço muito especial a família que perdeu o seu tesouro. Perder um filho, imagino eu, que seja uma dor imensa, incalculável. Como secretária de Educação, o meu abraço fraterno", manifestou Maria Helena.

Reunião extraordinária

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais informou que o prefeito Sérgio Azevedo deu entrada na Câmara Municipal a um pedido de convocação de reunião extraordinária, no dia 20 de outubro, para votação, em regime de urgência, do projeto de mudança de regime dos servidores para estatutário e do Plano de Cargos e Carreiras da Prefeitura. "O sindicato está acompanhando e faremos as divulgações necessárias e convocações na próxima semana, portanto, fiquem atentos", alertou a entidade para os servidores sindicalizados. Para o Sindserv "os projetos têm irregularidades e não devem ser votados a toque de caixa".

Material de construção nas ruas da Vila Togni

Através de requerimento, a vereadora Luzia Martins denunciou que os caminhões e caçambas que transitam pela rua Tabajarás, na Vila Togni, estão deixando cair material de construção pelo caminho e perguntou ao Executivo qual o setor responsável pela fiscalização.

"A fiscalização deste tipo de atividade irregular é feita pela Divisão de Fiscalização de Posturas quando constatado em flagrante pelo agente fiscal ou através de denúncia protocolada", explicou a Secretaria de Serviços Públicos, acrescentando que não foram localizadas na pasta nenhuma reclamação a este respeito no referido local, mas que a fiscalização vai ficar atenta.

"Não existe justificativa pela falta de educação dos possíveis infratores", garantiu a secretaria que deveria sim, promover a fiscalização porque a irregularidade existe e até não depende de reclamações para ser fiscalizada. Se trata de uma obrigação da secretaria responsável.

   EM OFF   

* A Escola Profissional Dom Bosco divulgou, ontem, comunicado oficial informando que, em respeito ao momento de toda a comunidade escolar, fará na segunda e terça-feira o acolhimento de sua equipe de profissionais e a partir de quarta-feira acolherá os estudantes. "Contamos com a colaboração e compreensão de todos", solicita a direção da escola.

* Sem revelar nenhuma liderança com poder e carisma necessário para unir aqueles que fazem oposição ao governo municipal, após o encontro promovido pelos apoiadores do prefeito Sérgio Azevedo, que foi considerado um sucesso, os oposicionistas se mostram ainda mais desanimados e descrentes de uma vitória na eleição municipal de 2024.

* De novidade o que está surgindo pelos lados dos oposicionistas é uma tentativa de se criar um grupo de centro-esquerda com apoio de figuras de expressão no governo federal, além de uma torcida para que a escolha dos candidatos a serem apoiados pelo prefeito para disputa dos cargos majoritários provoque um racha no grupo da situação. Que a decisão provocará descontentamento e até mesmo reação de alguns aliados, é uma certeza.

* Sobre o futuro politico do prefeito Sérgio Azevedo, a grande dúvida está nos dois anos que passará afastado do poder municipal, após entregar o cargo ao seu sucessor. Se conseguir elegê-lo, melhor, mas mesmo assim, após oito anos à frente do executivo a prefeitura se tornará pequena para o prefeito, principalmente se retornar ao posto de um simples engenheiro civil, ou até mesmo ocupando cargo de primeiro escalão.

* Seriam dois anos, até a eleição de 2026, no ostracismo, limitado apenas a participar como coadjuvante das ações do futuro prefeito, isto na hipótese de eleger o seu sucessor. Talvez seja este o principal motivo pelo qual Sérgio vem se dispondo a dar entrevistas em veículos de abrangência estadual, chegando a viajar até Belo Horizonte para uma entrevista na BND FM, como fez na semana passada.

* Sérgio também tem evitado críticas ao governo de Romeu Zema, mesmo a cidade não sendo devidamente reconhecida pelo governador como a maior e mais importante da região sul-mineira. Isto leva a imaginar que o prefeito alimenta a esperança de que Zema o convide para ocupar algum cargo de primeiro ou segundo escalão, quando deixar a prefeitura.

* Caso esteja pensando nessa possibilidade, o prefeito está no caminho certo para não ser esquecido no período em que permanecerá fora do noticiário político local e regional. Por outro lado, o prefeito não deve se iludir poque apesar dos elogios e até da insistência do ex-deputado Mosconi em lança-lo como candidato a governador pelo PSDB, não existe dúvida de que Aécio não colocará azeitona na sua empada.

* Pelo andar da carruagem, o ex-prefeito Paulo Tadeu, que esperava ser nomeado por algum cargo em Furnas ou até mesmo na INB, não será abandonado na chuva e poderá até ser nomeado para um posto de segundo ou terceiro escalão na Codevasf, companhia estatal que está sob o domínio do senador Rodrigo Pacheco, ou então em algum cargo onde o comando esteja subordinado a Alexandre Silveira, ministro das Minas e Energia.

* Pelo número de veículos circulando pelas ruas e também o número de pessoas passeando pelo centro da cidade, é possível afirmar que este será mais um final de semana prolongado com resultado altamente positivo para a rede hoteleira e o comércio em geral. Mesmo com o tempo instável, é grande o número de turistas que estão visitando a cidade.

* A justiça determinou, acertadamente, a paralisação das obras da BRZ Construtora, no Jardim Tiradentes pelo fato de o deslocamento de grande volume de terras ter invadido residências próximas ao local. Se a BRZ, que é uma empresa de fora deseja continuar sendo bem recebida por aqui, a primeira coisa a fazer é respeitar as leis dos municípios e principalmente os seus moradores. É isso.

* Durante entrevista a FM do jornal O Tempo, o presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Marcos Vinícius Vizarro, prefeito de Coronel Fabriciano, disse que a recomposição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) “é muito bem-vinda”, mas pode não ser suficiente. “O nosso grande problema hoje em Minas Gerais se chama ICMS e Fundeb. O Estado, com aquele pacto que fez para tabelar em 15% (a alíquota do ICMS) dos combustíveis, 25% (desse imposto) era destinado aos municípios. Então, perdemos quase 10% desse valor (total arrecadado com os tributos dos combustíveis). Sem contar o Fundeb, que 80% da composição dele é oriundo do ICMS. Então, é uma crise em cascata, deve chegar forte mesmo em maio do ano que vem, podendo levar a colapso os municípios que não se atentarem e tomarem providências agora”, afirmou.