Anuncio_-_Tribuna_Zona_Leste_-_Alcoa_59_anos-portal.jpg


 

gt34

O ex-prefeito Geraldo Thadeu (centro) destacou que foi candidato por acaso em 1988

O ex-prefeito e ex-deputado federal Geraldo Thadeu foi o entrevistado do programa Hora da Verdade, nesta semana, dentro da série de entrevistas programadas pelo apresentador William de Oliveira, com ex-prefeitos. Geraldo lembrou que fez a campanha do Eduardo Azeredo para o governo de Minas na região, que quando foi eleito o convidou para ser diretor financeiro e administrativo da Companhia de Distrito Industrial.

Recordando seu passado na política, Geraldo disse que continuou com seu consultório de dentista em Poços, onde atendia final de semana e depois viajava para Belo Horizonte toda a semana. “Não dei conta, fiquei apenas 6 meses, era muito puxado, a rodovia era de pista ú8nica e passei cada susto que você nem imagina", afirmou.

Retornando a Poços, Geraldo, que era presidente do PSDB local, passou a discutir com seu grupo a sucessão municipal, inclusive com a esquerda, e sempre dizia que tinha um candidato na manga. O candidato era o ex-prefeito José Aurélio Vilela, que faleceu antes da eleição.

As discussões continuaram, o grupo do Navarro se aproximou e a esquerda se afastou. Em um dos encontros de discussão de nomes para candidatos, Navarro lançou Geraldo Thadeu como candidato a prefeito.

"Eu quase cai de costas. Eu nunca imaginava que seria candidato a prefeito de Poços. Eu estava lá para ajudar, para contribuir com o grupo, mas foi ai que surgiu a minha candidatura", lembrou ele.

Pouca diferença de votos

A eleição foi acirrada, e Geraldo venceu seu adversário Paulo Tadeu, por 34 votos de diferença. "O PT até entrou com processo, que foi para Brasília e a eleição foi considerada correta, sem problema algum ", lembrou. Contou ainda que como portador de hepatite C, durante a campanha, sua resistência baixou e ficou internado por 3 dias num hospital em São Paulo. "O Paulo Tadeu era favorito, estava na frente durante quase toda a apuração, quando abriram as urnas do Marco Divisório, fez a diferença a meu favor", contou Geraldo Thadeu.

De déficit para superávit

Ai assumir a prefeitura, Geraldo conta que havia dívidas a pagar e que chegou a tal ponto de não contar com recursos para comprar combustível para a frota municipal. "Eu passava noites e noites acordado, molhado de tanto transpirar pensando no que eu ia fazer. Chamei todos aqueles que a prefeitura devia e falei que íamos pagar todos eles. Demorei a tomar a medida, porque tínhamos dois deputados, um federal que era o Mosconi e um estadual, que era o Navarro. Se eu tomasse uma medida dura, antes da eleição deles, íamos ficar sem deputados, porque iria respingar neles", explicou.

"Passando a eleição para deputado, chamei a base e anunciei que seria feita uma reforma administrativa/financeira dura e que se eles não quisessem entrar, se expor, eu assumiria a responsabilidade", recordou.

Foi então que apareceu o José Carlos Pólice, com experiência financeira em Campinas e São Paulo, que se propôs em ajudar e toda a situação foi revertida, passando os cofres de déficit para superávit e o trabalho da administração prosseguiu.

Pluralismo dificulta eleição

Geraldo Thadeu afirma que a política mudou muito e que o pluripartidarismo, com excesso de legendas, dificulta as eleições com o lançamento de muitos candidatos.

"Muita divisão. É preciso que apareça uma liderança que possa superior tudo isso. Em Pouso Alegre apareceu o Rafael Simões, que foi um ótimo prefeito, reeleito e que fez um trabalho extraordinário na região. Poços é referência regional e Pouso Alegre também, mas o Rafael soube aproveitar isso e foi eleito com 140 mil votos", lembrou Geraldo.

Praga no gramado do Ronaldão

A Secretaria de Esportes considera que a compactação feita recentemente no gramado do estádio Ronaldo Junqueira teve resultado positivo.

Quanto as críticas públicas sobre o gramado, a secretaria discorda e afirma que o local passou por vários procedimentos para melhorias visando a participação da Caldense e do Vulcão nos campeonatos mineiros em 2023.

No entanto, respondendo a questionamento feito pelo vereador Claudiney Marques, confirma que recentemente foi identificada uma praga com espinhos no gramado e que já solicitou providências ao setor responsável pela manutenção.

Convênio com Santa Casa de Salto de Pirapora

Os vereadores Flávio Togni de Lima e Silva e Douglas Dofu encaminharam requerimento ao executivo buscando informações sobre o convênio assinado entre a Santa Casa de Misericórdia de Salto de Pirapora e a Secretaria Municipal de Saúde.

"O convênio prevê a co-gestão da rede municipal de saúde, com fornecimento de mão de obra e serviços médicos. O ambulatório de translação foi iniciado em 16 de junho, assim como a oferta de consultas especializadas para atuar na estratégia de saúde da Família", informou a Secretaria da Saúde.

   EM OFF   

* Com a implantação de pedágios na BR 459, comerciantes da área central aguardam este primeiro final de semana prolongado para avaliar se a cobrança terá influencia nas vendas uma vez que uma pesquisa anterior mostrou que o movimento maior nas vendas ocorre nos finais de semana e tem como clientes moradores das cidades vizinhas, muitos inclusive de Caldas, Santa Rita e Ipuiuna, cuja ligação é feita por esta rodovia.

* Os prefeitos dessas cidades já colocaram a boca no trombone e protestaram nas suas redes sociais contra a medida adotada pelo governador Romeu Zema, na privatização e implantação dessas praças de pedágio, onde nem mesmo as motos estão livres de pagamento. Por aqui, até agora, o prefeito Sérgio não se manifestou a respeito.

* Após a lambança feita na eleição de deputado, as portas se fecharam no gabinete do senador Rodrigo Pacheco e também de Alexandre Silveira, ministro das Minas e Energia, para o prefeito de Poços e seus aliados. A bronca contra o chefe do executivo poços-caldense por lá, principalmente pelo fato de terem liberados recursos para a prefeitura local, recebendo de volta ingratidão e traição fechou as portas para a atual administração.

* Aliás, com as bênçãos de Brasília, está sendo articulada nos bastidores da oposição ao prefeito Sérgio Azevedo, o lançamento de uma candidatura considerada como opção centro-esquerda, para unir os partidos de oposição, incluindo o PSD que deve mudar de mãos por determinação de lideranças com influencia na cúpula da legenda junto a Gilberto Kassab, presidente nacional da legenda.

* Ontem, um dia após a tragédia da Escola Dom Bosco, viaturas com agentes da Guarda Municipal estavam estacionadas nas portas de escolas municipais, logo cedo, como por exemplo na Escola Sérgio de Freitas Pacheco, na Vila Togni. Poucos metros dali, ao lado do ginásio poliesportivo Romeu Cagnani, o tráfico de drogas continuava correndo solto, sem despertar a atenção dos agentes.

* Seria muito mais interessante e com um custo muito menor se a Secretaria de Defesa Social instalasse câmeras de monitoramento ao redor da escola e do ginásio poliesportivo com o local sendo vigiado 24 horas por dia, sem despertar a atenção dos traficantes e viciados. Infelizmente a secretaria insiste em uma vigilância pessoal, superada e que não vai durar mais que dois dias, após o assunto da tragédia da escola Dom Bosco deixar o noticiário. O mundo evoluiu, mas a Defesa Social, ainda não se deu conta disso.

* E o famoso Café do Silvinho, na Rua Junqueiras, continua sendo o ponto preferido pelas lideranças políticas que passam por lá e saboreando o café e o pão-de-queijo mais famoso da cidade, trocam impressões sobre a politica local. Ontem foi a vez do ex-prefeito Geraldo Thadeu colocar a conversa em dia com o ex-vereador Waldemar Lemes e Silvinho que estiveram recentemente em Brasília onde conversaram com inúmeras lideranças da política nacional, entre as quais o senador Rodrigo Pacheco, que se mostrou interessado em saber quando andam as coisas na política local e regional.

* Um acordo entre os deputados federais Newton Cardoso Júnior e Hercílio Coelho Diniz promete dar paz, ao menos por ora, ao diretório estadual do MDB em Minas Gerais. Com intermediação do presidente da executiva nacional, o deputado federal Baleia Rossi, os parlamentares mineiros decidiram que Newtinho será mantido como presidente no estado, enquanto Hercílio será secretário-geral da legenda no Brasil, cargo que antes era ocupado pelo colega.

* O acordo em nível estadual poderá refletir também no diretório do MDB local, onde o presidente Fábio Júnior e Ulisses Guimarães Borges estão atritados com a ala mais antiga e conservadora da legenda, representada por Silvio José Ferreira e Waldemar Lemes.

Aos leitores

O blog voltará a ser atualizado no sábado. Bom feriado a todos e que Nossa Senhora Aparecida abençoe a todos nós.