Anuncio_-_Tribuna_Zona_Leste_-_Alcoa_59_anos-portal.jpg


 

amt

Tramonte justifica voto contra aumento do ICMS

O deputado estadual Mauro Tramonte (republicanos, explica as razões pelas quais votou contra o projeto de lei encaminhado para a Assembleia Legislativa pelo governador Romeu Zema, que aumenta o ICMS. Segundo Mauro, desde o início do projeto de lei ele apresentou diversas emendas e requerimentos para excluir diversos produtos da gastronomia mineira e cosméticos deste aumento de ICMS proposto pelo governo.

“Minas Gerais ocupa uma posição de destaque na produção de bebidas, com produtos premiados internacionalmente. A qualidade desses produtos é fundamental para a gastronomia mineira. Bebidas como vinhos, cervejas, gins, sucos, refrigerantes e uísques são produzidos em todo Estado, gerando empregos e desenvolvimento econômico em diversas regiões”, disse o deputado. No caso dos cosméticos, segundo ele, é inegável que desempenham um papel crucial na higiene e cuidados diários das famílias mineiras. “Por tudo isso, por coerência ao que defendo e acredito, votei contra esse aumento”, afirmou Mauro.

Tarifa verde em outubro

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) divulgou ontem que será verde a bandeira tarifária que vai vigorar no mês de outubro, sem custos extras nas contas de energia elétrica. As condições favoráveis de geração hidrelétrica têm mantido a sinalização verde desde abril de 2022.

Ao comemorar a continuidade da bandeira verde, o diretor-geral da Agência, Sandoval Feitosa, explicou que o cenário é beneficiado pelos custos menores de geração. “A energia gerada está mais barata. Tem chovido mais nos reservatórios, e aí podemos contar com as hidrelétricas, que possuem um custo de geração mais baixo do que outras fontes. Isso sem falar do avanço das usinas eólicas e solares, sobretudo no Nordeste do País”.

A ANEEL atualiza constantemente suas projeções de acionamento das bandeiras tarifárias e, com os dados até aqui apurados, há expectativa de acionamento da bandeira verde até o final do ano.

Abre portas

O empresário e consultor empresarial Sílvio José Ferreira, ao ser entrevistado no Jornal 360, da TV Poços, falou sobre suas idas à Brasília que, na maioria das vezes, são na companhia do ex-vereador Waldemar Lemes Filho. "O Waldemar é presidente de honra da Associação Nacional dos Vereadores, foi o único vereador mineiro que ocupou este cargo. A gente vai à Brasília e ele abre todas as portas", disse Silvio.

Analisando os governos federal e estadual

Silvinho, como é conhecido, lembrou que o governo anterior começou com juro do Banco Central em 2% e chegou a 13,75% e agora, felizmente, está sendo reduzido aos poucos e a inflação não subiu. "Nos EUA se a inflação está em 5% eles baixam os juros para obter investimentos, aqui não, está sendo ao contrário: a inflação está 5% e o juro está o dobro. Este governo está amarrado, porque o presidente do Banco Central foi nomeado pelo governo anterior e tem que ficar até 2024, assim como os presidente da Aneel, Anatel", explicou.

Na sua avaliação, o país está indo bem, enquanto a Europa está passando por dificuldades por causa da guerra da Ucrânia. "Em relação ao mercado mundial, estamos avançando. Nossa preocupação é a Europa e temos que cuidar um pouco da Argentina, que sempre foi nosso terceiro importador", sinalizou Silvinho. Sobre o governo Romeu Zema, que teve o apoio dos empresários, Silvinho disse que anteontem ele subiu o ICMS de 25% para 27%. "Eu sempre achei um absurdo governo taxar desodorante, sabonete, produtos de higiene pessoal, como supérfluo", afirmou.

Dofu em alta

Na avaliação do empresário, que é também consultor de empresas, o prefeito Sérgio Azevedo "está mais perdido do que barata tonta". "Dias atrás eu estava em Belo Horizonte e visitamos o deputado Rodrigo Lopes (União) depois fomos no gabinete do Cássio Soares (PSD) e os dois deputados falaram sobre o vereador Douglas Dofu, que vem se sobressaindo na politica local e que deveria receber do prefeito maior atenção, até mesmo sendo colocado como vice na chapa que vai disputar a sua sucessão”. Para Silvinho o nome mais forte que o prefeito tem em mãos hoje, ainda é do ex-deputado Carlos Mosconi. "Eu acredito, que Mosconi seria um nome forte. Tomei conhecimento de algumas pesquisas e acho que ele aceitaria, porque era o sonho da sua mãe. O seu nome ainda é forte é forte e o Sérgio deve o seu cargo ao Mosconi”. Sobre o vice-prefeito, Tio Júlio, Silvinho entende que "não tem a pegada política necessária para o momento".

Pesquisa

Silvinho informou que um pessoal do institude MD de pesquisas, de Lavras, fez uma pesquisa em Poços que apontou que em primeiro lugar estão os indecisos com 69%. "Em outras cidades o percentual de indecisos é 35%, aqui em Poços a eleição está totalmente aberta. As configurações do Sérgio estão na frente, mas o nome forte ainda é o Mosconi e do outro lado aparecem o Eloísio, Paulo Tadeu e Geraldo Thadeu.

Vivendo o presente

O deputado estadual Luizinho, do PT, defende o viver dia a dia. "O planejamento não é uma coisa boa. Parece contraditório, mas não é. O sonho também não é uma coisa boa. Ficar sonhando a vida, você projeta para um mundo que não existe no futuro. Não existe o futuro e não existe o passado. As forças cósmicas estão irradiando sobre nós no presente, a energia, então a vida acontece no presente. Não fico pensando o que vou ser amanhã, com vontade, com desejo no futuro. Desejar o futuro não é bom não", foi isso o que afirmou o deputado ontem, em entrevista no Café Interativo, da Sulminastv.

Para embasar esse seu pensamento, Luizinho diz que os indígenas quando querem se referir ao futuro indicam com as mãos para frente, o passado com as mãos para trás e para o presente as mãos para cima para se conectar com as forças do presente.

"Quem fica vivendo no futuro, não vive", afirma.

   EM OFF   

* No jogo da sucessão municipal, que se dará com a eleição de 2024, uma coisa parece certa, nenhum dos ex-prefeitos Luiz Antonio Batista, Adnei de Morais, Paulo Tadeu, Paulinho Courominas, Geraldo Thadeu e até mesmo Eloisio Lourenço, pensam em se candidatar aos cargos majoritários. O ex-deputado Carlos Mosconi também é considerado como carta fora do baralho para a disputa. Todos eles consideram que bem ou malo, a hora é desta nova safra na política local, onde infelizmente, o nível está nivelado por baixo.

* O prefeito Sérgio Azevedo está cumprindo uma promessa feita desde o seu primeiro mandato que é a troca do piso das calçadas ao longo da Praça Pedro Sanches, uma escolha equivocada feita no governo de Sebastião Navarro, uma vez que o ladrilho não é antiderrapante e em dias de chuva já causou a queda de muitas pessoas.

* O material do piso da nova calçada é o granito, que foi uma escolha do próprio prefeito. Trata-se de um material natural, durável e por ser apicoado, rústico, evita acidentes, apesar de que com o tempo vai juntar sujeira e vez ou outra terá de ser lavado para que o granito volte a recuperar o aspecto inicial. O fato de o piso ser em granito, não garante definitivamente que as pessoas não vão cair ou se acidentar. Isso vai depender da execução da obra de modo perfeito, sem a presença de desníveis, ressaltos e degraus nas calçadas.

* Quanto a mobilidade total, isso não pode ser confundido com acessibilidade. As calçadas novas e as antigas nunca terão mobilidade total, obviamente porque não são vias, são fixas e não compõem o sistema ou plano de mobilidade urbana. A acessibilidade se dá não pelo material empregado no piso das calçadas, mas sim pelos dispositivos, desenho, sinalização e projeto destas calçadas. Um conjunto de fatores, dispositivos e elementos que se chama “desenho universal”.

* Aparentemente só agora Poços passará a ter calçadas acessíveis, e somente em alguns trechos da área central em que a prefeitura vai conseguir realizar e concluir essas obras. O restante da cidade, inclusive as obras de calçadas que essa administração executou, não contemplam esse desenho universal.

* Trata-se de um trabalho que precisa ter continuidade nas próximas administrações, não só na área central, mas também em calçadas ao longo de ruas e avenidas pelos bairros onde o pedestre é sempre o sacrificado, muitas vezes sendo obrigado a caminhar pela rua para evitar os desníveis, onde os próprios moradores são responsáveis porque fazem as calçadas de qualquer jeito, sem nenhuma fiscalização.

* Sem falar nos veículos estacionados sobre as calçadas. Muitas vezes obrigando o pedestre a descer, se expondo ao risco de ser atropelado, o que é uma constante por toda a cidade e deveria merecer atenção maior por parte do setor de trânsito. Mas se a secretaria responsável pelo trânsito não consegue nem mesmo cuidar do sincronismo dos semáforos, isso já seria exigir demais.

silvpt

* Acompanhado da ex-vereadora Ciça, o deputado Luizinho aproveitou sua vinda a Poços de Caldas para se encontrar com o Promotor de Justiça Glaucir Antunes Modesto. Que tem uma prima que foi secretária do deputado quando ele era prefeito de Alfenas.

* Ainda sobre a visita do deputado, que cumpriu três mandatos como prefeito de Alfenas, vale ressaltar que sua vinda foi comunicada antes aos dirigentes do Partido dos Trabalhadores em Poços. No entanto, nenhum dos dirigentes se dignou a encontra-lo para pelo menos cumprimentar o deputado.

* Já o prefeito Sérgio Azevedo recebeu Luizinho com toda atenção e simpatia e aproveitou a oportunidade para solicitar sua ajuda nas demandas do município, quer seja no âmbito estadual ou federal. Pelo visto, o PT em Poços continua o mesmo, por isso que não cresce.

* O PSDB de Minas se articula no estado para refundar a legenda, atraindo filiações de lideranças, que, no passado, foram vinculadas ao partido. O deputado federal Paulo Abi-Ackel, que preside a legenda no Estado e o deputado federal Aécio Neves assinaram a ficha de filiação do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Uberaba, Paulo Piau. “O PSDB está recuperando muito de sua força”, afirma Paulo Abi-Ackel, que constrói cenários, para 2026, em que Aécio retoma protagonismo.