alcoa fp

Apresentado à comunidade: Alcoa Poços é a terceira unidade no mundo a usar o novo sistema industrial

   Na semana passada, a Alcoa apresentou à comunidade poços-caldense a sua mais nova iniciativa de governança socioambiental em sua planta de processamento de bauxita - o completo comissionamento do “Projeto Filtro-Prensa”. O projeto foi anunciado no ano passado, com uma série de novas medidas e modificações no sistema minero-industrial utilizado pela empresa, otimizando a destinação final dos produtos, subprodutos e rejeitos industriais. O objetivo foi adequar a planta local às novas exigências das modernas regras de governança ambiental, social e sustentabilidade exigidas pela corpopração.

   Ecologicamente inovador, o projeto foi executado ao longo de 15 meses a um custo de R$ 330 milhões e gerou mais de 500 empregos diretos ao longo da execução. Seu grande objetivo foi eliminar por completo o despejo de resíduos líquidos dos processos industriais em barragens, que como já vimos nos desastres ambientais de Mariana e Brumadinho, não são práticas seguras. Pelo novo sistema implantado na Alcoa, toda a parte líquida é separada por grandes e potentes filtros hidráulicos e imediatamente devolvida ao mesmo sistema industrial. A parte seca é então destinada a uma nova área de disposição onde é compactada e futuramente poderá ser usada em outros processos industriais, como por exemplo, para a produção de materiais para a construção civil.

  Fábio Martins, diretor de Operações da Alcoa Poços, explicou que o projeto vai permitir a continuidade e até mesmo a ampliação das operações da unidade de Poços de Caldas. Segundo ele, a empresa segue rigidamente padrões e parâmetros internacionais de governança socioambiental e corporativa (ESG) em todas suas divisões e unidades espalhadas pelos quatro cantos do planeta. Neste quesito, a unidade de Poços de Caldas é a primeira a adotar o sistema nas Américas, na Europa, Ásia e África (o sistema foi desenvolvido na Austrália, na Oceania). 

 “Esta certificação garante a continuidade de nossas operações em Poços de Caldas. Ela atende a todas as exigências da companhia em relação à disposição de resíduos e à legislação estadual de segurança de barragens e vai nos permitir continuar avançando de forma sustentável, reinventando a indústria do alumínio. E o melhor de tudo: transformando potencial em progresso real”, enfatizou o diretor.

Alcoa Poços é exemplo de governança ambiental, social e corporativa

 O engenheiro Rodrigo Gianotti, gerente da área de Refinaria e Áreas de Resíduos de Bauxita, explica que a grande grande contribuição do processo é a grande redução da emissão de carbono ao meio ambiente devido à enorme redução das áreas para disposição de resíduos e acúmulo de água, o que resulta no menor consumo de energia ao longo de todo o processo. Uma grande contribuição ao meio ambiente local.  Ele acrescentou que as áreas onde anteriormente foram depositados os resíduos serão reabilitadas e continuamente monitoradas para a manutenção da segurança e estabilidade de todo o entorno e adjacências da empresa. 

Compartilhe!