unnamed

Em agosto, foram mais de 6 mil flagras de brasileiros atravessando a fronteira americana ilegalmente, sendo 20 casos de crianças desacompanhadas dos pais

Dados oficiais do Serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP, na sigla em inglês) divulgados na última terça-feira (20) revelam que as autoridades americanas flagraram 6.129 tentativas de brasileiros tentando entrar ilegalmente no país. Trata-se da segunda alta consecutiva e o maior patamar de 2022.

De acordo com os números, já são 31.462 encontros com brasileiros nos oito primeiros meses do ano – 32,5% abaixo do que no mesmo período de 2021. Encontro é um termo técnico dos órgãos de fronteira e refere-se a dois tipos distintos de eventos: a detenção, que acontece quando os imigrantes são levados sob custódia para aguardar julgamento; e a expulsão, quando eles são imediatamente devolvidos para seu país de origem ou último país de trânsito.

O Brasil é o 13º país que mais teve cidadãos sendo flagrados nas fronteiras americanas em 2022. A grande maioria deles acaba sendo detida na divisa com o México e expulsa do país, uma vez que brasileiros não costumam ser elegíveis para pedidos de asilo nos EUA.

Dos 6.129 encontros com brasileiros em agosto, em 20 deles os oficiais de fronteiras apreenderam crianças desacompanhadas dos pais. A grande maioria dos encontros (3.890) são referentes a famílias inteiras que tentam entrar nos EUA.

Para o advogado de imigração Felipe Alexandre, sócio-fundador do escritório AG Immigration, a segunda alta consecutiva na quantidade de brasileiros flagrados nas fronteiras americanas deve-se a dois grandes motivos. “Por um lado, é verão no Hemisfério Norte, o que historicamente eleva a demanda por mão de obra barata, e os imigrantes tentam entrar nos EUA achando que poderão ocupar essas posições, principalmente em setores como lazer, hospitalidade, limpeza e alimentação. Por outro lado, há um contexto político e econômico no Brasil que estimula os brasileiros a saírem do país”, afirma o advogado.

Alexandre ressalta também que aqueles brasileiros que tentam entrar ilegalmente nos EUA às vezes o fazem porque já tiveram o visto negado ou não se qualificam para os critérios de elegibilidade do greencard. Contudo, em muitos casos, trata-se apenas de falta de informação. “É importante consultar um advogado de imigração antes de tomar qualquer decisão neste sentido. A pessoa, por exemplo, pode ser banida permanentemente banida de pisar nos EUA, além de arriscar a própria vida, colocando-se nas mãos de gangues perigosas”.

Considerando todas as nacionalidades, os EUA registraram 251.155 flagrantes de pessoas tentando entrar ilegalmente nos EUA em agosto – alta de 5% sobre julho. Desde janeiro, já são mais de 1,9 milhão de encontros nas fronteiras.

Compartilhe!