paulo tadeu

Paulo Tadeu: Câmara não pode tolerar discurso de ódio do vereador pasto Roberto

O ex-prefeito e ex-vereador Paulo Tadeu lamentou a fala do pastor e vereador Roberto dos Santos, do Republicanos, que em reunião recente da Câmara Municipal defendeu o fuzilamento. "Eu polarizo nos campos das idéias, mas não nego o meu adversário. Não nego ao adversário o direito de pensar diferente, mas não tolero a incivilidade. Discursos como este do suposto pastor que tem aqui na Câmara Municipal, falando que tem que fuzilar quem não presta. Quem julga quem presta e quem não presta? Ele é que vai julgar? A Câmara não pode, não deve passar a mão na cabeça de um vereador, suposto pastor, que pega um microfone para propor o fuzilamento e o extermínio do outro. Por muito menos do que isso eu fui advertido na Câmara, por debater em plenário. O sujeito que defende a morte do outro não pode continuar no Poder Legislativo municipal", defendeu o ex-vereador.

Reconstrução do protagonismo regional

Sobre o número de candidatos a deputado de Poços que disputaram as eleições, Paulo Tadeu considerou como sendo inevitável.

"Poços de Caldas precisa reconstruir seu protagonismo regional, que não se dá apenas no período eleitoral. Isto tem que servir de lição para que a gente construa ou uma perspectiva improvável de acordos políticos em período eleitoral ou a gente constrói uma hegemonia de um grupo político para que saia daqui majoritariamente e possa voltar a emplacar deputados estaduais e federais", defendeu Paulo Tadeu.

Para ele, isso não é algo impossível e pode ser construído, mas que há um dado importante a ser avaliado, porque a cidade tem uma efervescência política que poucas possuem e temos um número absurdo de partidos organizados, aproximadamente 30.

"Cada partido procura reafirmar seu espaço nos processos eleitorais e o resultado é este", lamentou.

Reciclagem do poder

O presidente local da União Brasil e secretário-adjunto de Obras, Tiago Cavelagna, declarou que não quis concorrer nas eleições para vereador por entender que o poder legislativo precisa ser reciclado e que dois mandatos são mais do que suficientes para que pudesse contribuir para a cidade na Câmara Municipal.

"Não é possível que não tenhamos pessoas tão boas quanto ou melhores que você, para estar ocupando uma cadeira e trazendo idéias novas e sangue novo para contribuir com Poços. Fui eleito em 2008, reeleito em 2012 e achei por bem dar espaço para outras lideranças", explicou, não descartando, no entanto, futuramente retornar ao Legislativo.

Sobre sua participação na MinasCon, em que teve que "apagar fogo" quando a discussão foi sobre Plano Diretor, Tiago Cavelagna disse que o secretário de Planejamento é "extremamente competente", embora tenha seu jeito de tratar, e é um servidor de carreira com uma passagem inquestionável em termos de honestidade e compromisso com a cidade.

Plano Diretor e Secretaria de Obras

Cavelagna lembrou que foi votada a atualização do Plano Diretor, mas que entende que isso deve ser um estudo contínuo e não realizado de tempos em tempos. "Não dá para ser alterado com muita frequência, porque mexe diretamente com a dinâmica econômica da cidade, com o mercado imobiliário, mas estabelecer data para fazer esses estudos também não acho correto", afirmou.

Cavelagna informou que está sendo um prazer trabalhar como adjunto naa secretaria de obras, ao lado do titular, José Benedito Damião, que é muito trabalhador e dedicado. "Você contribuir com Poços de Caldas é muito gratificante e é isto que ainda me motiva e me mantém ativo na vida pública", afirmou.

   CURTAS   

* Sem ruído. Nesta sua primeira semana de trabalho como titular da Secretaria de Serviços Públicos, Celso Donato despachou normalmente com os principais auxiliares e aproveitou para conhecer de perto os setores que agora estão sob sua responsabilidade e pelo visto, está gostando da sua nova função na equipe do prefeito Sérgio Azevedo.

* Quanto ao ex-titular do cargo, Antonio Donizetti Albino, o “Capacete” não vai precisar de muito tempo para se adaptar a função de secretário de comunicação porque trabalha na área faz muito tempo e por conta disso conhece a maioria dos servidores lotados no setor. Confidenciou a um amigo que seu objetivo nos próximos dois anos é fazer um bom trabalho e que não pretende disputar a próxima eleição para poder se dedicar aos seus negócios, entre eles o pesqueiro Lambari.

* Por iniciativa do vereador Wellington Guimarães, com apoio dos demais vereadores, está sendo criado, por meio do anteprojeto de lei 26/2022, o Museu do Futebol de Poços de Caldas, a ser implantado pela Secretaria Municipal de Esportes, cabendo ao executivo indicar o local onde ficará sob guarda do Município, documentos escritos, fotográficos, falados, impressos ou filmados de todas as formas, bem como medalhas, troféus, prêmios e condecorações recebidas por diretores, atletas e associados através de doações, conquistas ou concessões de entidades, clubes, associações, federações e órgãos públicos.

* Já o vereador Ricardo Sabino (PSDB), por meio de requerimento, está solicitando a chefia do executivo municipal, qual for a resposta dada pela empresa contratada, no início de julho, - Sociedade de Pesquisas para Memória do Trem – com o objetivo de realizar a elaboração de estudos de viabilidade técnica para a implantação do Trem Turístico-Cultural entre a Estação Bauxita e a Estação Central de Águas da Prata.

* O prazo para entrega dos estudos, segundo cláusula contratual, seria de 70 dias e após o estudo, segundo o que foi divulgado pela própria prefeitura, caso fosse atestada a viabilidade, o Município poderia abrir licitação para contratação para que empresas particulares possam explorar o trecho com a finalidade de implantar o atrativo.

* Segundo um comerciante da área central, proprietário de lanchonete, o prefeito acerta em retirar os trailers de lanches da chamada alameda do bacon, mas, diz que o chefe do executivo erra ao construir quiosques de alvenaria para terceiros.

* “O certo seria eliminar os trailers e revitalizar o espaço com novas calçadas e arborização, preservando o verde da área central. A prefeitura não tem que se intrometer na disputa pelo comércio. Cabe ao executivo apenas fiscalizar a cobrar os impostos”, disse o comerciante que enxerga tanto nos trailers, como nos quiosques uma concorrência desleal, embora a concessão dos futuros quiosques deva ser feita por meio de licitação.

* Ainda sobre os trailers. As amarras legais, segundo artigo de autoria do advogado João Luiz Azevedo, ex-assessor jurídico da Prefeitura e da Câmara Municipal, impedem o executivo de transferir, ainda que em caráter precário, sem licitação, os trailers de lanche que serão retirados do centro para outros locais. Ou seja, de qualquer forma, até para a transferência dos trailers os espaços terão que passar por concorrência pública, sem nenhum favorecimento aos proprietários. 

Compartilhe!