charr

Vários setores envolvidos na questão estiverem presente á reunião

A Câmara Municipal realizou, ontem, audiência pública tendo como pauta o projeto de lei que proíbe a utilização de tração animal no município. O encontro foi aberto pelo vereador Diney Lenon, autor do pedido de audiência.

Disse que o tema envolve grandes paixões e que há uma dificuldade humana de estabelecer diálogo quando estamos diante de paixões e que é preciso buscar o equilíbrio da paixão e da razão. Diney lembrou que Poços tem uma tradição em charretes e quando as pessoas chegam a cidade procuram especialmente por duas coisas: o teleférico e as charretes.

"Muitos procuram saber se os animais são bem tratados e eu também quero saber. Se são bem alimentados, se trabalham dentro de um limite e que bom que bom que teremos um médico veterinário para falar, mais um documento do Ministério Público que fez investigação e chegou à conclusão de que precisamos ouvir também os defensores da causa animal com suas propostas", disse o vereador petista.

Para ele, o município não agiu certo ao fazer o anúncio do fim das charretes de tração animal, porque não ouviu os envolvidos para fazer a construção de um projeto.

Os argumentos

Claudiney Ferreira falando em nome dos lojistas da Avenida João Pinheiro, afirmou que que necessitam do trabalho das charretes, afirmou que emprega 6 pessoas em sua loja que precisam levar o sustento para sua casa. "A minha renda mensal corresponde a 60% do trabalho dos charretistas e se eu perder, com certeza, 6 pessoas vão estar na rua, porque não tem como eu sustentar a minha família e das pessoas que colaboram comigo", afirmou o comerciente.

Francisco Carlos Rodrigues, representante dos charretistas, disse que o trabalho deles é digno e que é a quarta geração de sua família que trabalha neste ramo. "Tenho 40 anos trabalhando com charrete e criei 4 filhos, 3 netos, tenho minha casinha própria trabalhando honestamente e nunca um animal morreu na minha mão trabalhando", garantiu ele.

Afirmou que os charretistas tem feito uma pesquisa com os turistas sobre a carruagem elétrica e que se tivesse uma boa aceitação por parte dos turistas, eles também aceitariam, porque isso até diminuiria os custos com os animais. "Este serviço que eles estão querendo implantar, não vai vingar", afirmou.

Paulo Tadeu defende continuidade do serviço

O ex-vereador Paulo Tadeu, que também é veterinário, usou a tribuna durante a audiência e afirmou que os movimentos em defesa da causa animal são fundamentais e que se criaram diversas medidas que reduziram o sofrimento animal.

Disse que tem um profundo respeito pelas pessoas que trabalham com charretes, que conhece há muito tempo, porque trabalha como veterinário e que cuidou de muitos animais dos charretistas.

"O cavalo é uma espécie que estaria extinta hoje se não fosse a aproximação do homem, porque o cavalo é um bicho simpático, indolente, indefeso e era presa fácil dos grandes felinos. O homem se aproximou dele para se alimentar e depois descobriu que era grande instrumento de guerra e ele foi domesticado", afirmou Paulo Tadeu.

Citou a atuação dos cavalos na produção, no esporte e afirmou que ao se ver um cavalo trabalhando é preciso verificar a velocidade do trabalho, o peso que carrega e a intensidade. "O problema dos cavalos, salvo os exageros, nunca foi o peso, mas a ferragem na boca que tem duas categorias, que atua diretamente no céu da boca e na língua e nos dentes e uma que atua no trigêmeo", afirmou.

Garantiu que os cavalos de charretes, diferentes daqueles que são usados para salto, para dançar e para pastorear, são os que menos sofrem impactos na boca, porque tem uma rotina raramente interrompida, já que o bom charretista pouco usa a rédea e pouco usa o chicote.

"Focar num segmento social aparentemente fragilizado é muito fácil, enfrentar os proprietários de cavalo de polo, de salto, de corrida, de pastoreio, de cavalos dançarinos, é outra conversa", garantiu, acrescentando que temos que discutir a médio prazo uma solução que atenda a sociedade como um todo.

Recesso legislativo

O presidente da Câmara, vereador Marcelo Heitor, ao usar a tribuna na última sessão, antes do recesso, reafirmou seu compromisso de dedicação e trabalho. "É algo que tem sido um grande desafio de forma pessoal, muitas vezes é um sacrifício, mas temos feito com afinco tentando sempre fazer o melhor pela Câmara, pelo poder Legislativo, o fortalecendo no município, justamente para prestar um serviço melhor para nossa população", garantiu ele.

Marcelo agradeceu aos membros da Mesa Diretora que o auxilia e aos servidores e lembrou que a Câmara é enxuta, mas que trabalha de forma eficiente. "Neste ano e meio de trabalho, graças a Deus muita coisa temos feito, tentando avançar nas melhorias da Casa. Tenho certeza que os outros presidentes que passaram por aqui também contribuíram e precisamos também deixar a nossa contribuição para que tenhamos a cada dia uma Câmara mais forte e eficiente em prol da nossa cidade", destacou.

O presidente citou mais um avanço que foi a transmissão com intérprete de Libra, aproximando mais pessoas que precisam desta ferramenta para poder acompanhar os trabalhos da Câmara.

Por fim, agradeceu os vereadores, que, de acordo com ele, têm se esforçado para fazer o melhor pela população através de seus mandatos.

   CURTAS   

* O vereador Tiago Braz enviou mensagem ao blog onde afirma que não gostou das críticas feitas sobre a sua fala na sessão ordinária de terça-feira, quando se referiu ao setor municipal de saúde, dizendo que está “uma merda, uma porcaria”, disse que vai continuar com o mesmo comportamento, criticando o que está errado, embora daqui para a frente faça um esforço para melhorar o seu vocabulário. “Trando os dois termos que usei para definir a situação da secretaria de saúde, mantenho o resto da minha fala”, declarou o vereador.

* Como divulgamos, o vereador oposicionista, ao criticar as falhas no setor de saúde, chamou o secretário Carlos Mosconi de incompetente e chegou a sugerir até para que peça demissão do cargo. Tiago garantiu que continuará com o mesmo comportamento porque foi eleito vereador para falar a verdade e mudar o que está aí, e informou que após o recesso, o secretário deve participar de uma reunião ordinária da Câmara, quando irá questioná-lo pessoalmente sobre todos os problemas, até porque “tá morrendo gente todo dia por conta disso”.

* Solidariedade e união, ao que parece, são coisas que não existem nesta administração, a começar pelo prefeito Sérgio Azevedo que sempre se omite quando algum integrante da sua equipe é atacado, parecendo concordar com os ataques. Assim foi com o ex-secretário de governo Celso Donato, hoje pré-candidato a deputado federal e com outros integrantes da equipe. A omissão também é clara dos colegas de secretariado e os partidos ao qual estão filiados.

* De qualquer forma, é lamentável que tenhamos um vereador chamando de incompetente um político em cuja trajetória consta uma folha de bons serviços prestados nos mais diversos cargos que ocupou, tanto como deputado federal e estadual, como em cargos do executivo, dentre eles Secretário Nacional de Assistência à Saúde (1992-1994), Secretário de Saúde do Distrito Federal, em Minas Gerais na gestão de Eduardo Azeredo, quando respondeu pela Secretário de Estado de Assuntos Municipais. Na Assembleia Constituinte, teve um papel primordial como relator da Saúde, contribuindo decisivamente para a criação do SUS.

* Realmente chega a ser até incompreensível como um político com esta folha de serviços prestados à população ainda insista em continuar em um cargo de menor expressão, comparado com aqueles que já ocupou ao longo da sua vida pública onde é chamado de incompetente por um vereador oposicionista, apesar de que é preciso reconhecer, que o setor de saúde em Poços de uns tempos para cá, não vai bem. No entanto, é preciso ressaltar o trabalho dos servidores lotados no setor de saúde no trato com a recente pandemia do coronavírus, quando a secretaria agiu de forma correta, salvando muitas vidas.

* Críticas e fiscalização das ações do executivo fazem parte do dever de cada vereador, o que não concordamos é com ofensas pessoais. Quando o vereador afirma que a saúde em Poços está “uma merda”, ele ofende todos os servidores que prestam serviços no setor, cometendo grande injustiça. É preciso apontar as falhas e cobrar providências sem ofensas de natureza pessoal. Como o vereador diz que vai procurar melhorar o seu vocabulário, esperamos que isso realmente aconteça até para que não continue ultrapassando os limites do o decoro parlamentar.

* Sobre a visita que o governador Romeu Zema (Novo, fez a indústria de cristais São Marcos, na sua vinda a Poços, no último final de semana, vale ressaltar que o diretor da empresa, Antônio Carlos Molinari conheceu o governador durante um evento da ESA - Escola de Sargentos das Armas, na cidade de de Três Corações, logo no início do seu governo

* Quem o apresentou a Romeu Zema foi o General de Brigada Adilson Giovani Quint, comandante da Escola. Foi então que o diretor da São Marcos, com sua conhecida simpatia e gentileza convidou o governador para visitá-lo quando viesse a Poços para conhecer a fábrica de cristais. No início da semana passada o telefone da fábrica tocou com a assessoria do governador entrando em contato para uma visita restrita entre seus compromissos durante sua agenda em Poços de Caldas. Ou seja, o governador tem memória e a visita foi feita sem indicações políticas.

* Segundo o calendário divulgado pela Anatel, para a chegada da telefonia 5G nas cidades de Minas Gerais, Poços de Caldas só estará liberada para receber a nova tecnologia a partir do dia 30 de junho de 2024. Nessa etapa, 50% ou mais das cidades com até 30 mil habitantes também começarão a ser atendidas pelo 5G, mas a Anatel não especificou quais serão escolhidas, portanto a lista considera apenas os locais com mais de 100 mil pessoas.

* O calendário de liberação do 5G nas cidades mineiras seguirá o tamanho da população de cada uma, começando pelas maiores, com mais de 500 mil habitantes, e prosseguindo até aquelas com 30 mil pessoas. Quase 85,7% das cidades mineiras não chegam a 30 mil habitantes, por isso começarão a receber o sinal gradualmente a partir de junho de 2023. O 5G estará chegando a Belo Horizonte ainda no mês de julho.

* Idealista como sempre, defensor de uma política de objetivos sérios e sem conchavos ou alianças tipo salada de frutas, o empresário Silvio José Ferreira decidiu por se rever sua primeira disposição de se candidatar a deputado federal, preferindo, ao lado do seu amigo Waldemar Lemes, cultivar os ideais do MDB antigo. Para fortalecer esse mesmo pensamento, Silvio recebeu mensagem do deputado federal Newton Cardoso Júnior, presidente do MDB estadual, para agendar uma reunião em que a formação de um grupo com trabalho conjunto na região Sul do Estado possa ser analisado, e quem sabe, colocado em prática.

* O ex-vereador, presidente do União Brasil em Poços e ex-secretário de Planejamento, Tiago Cavelagna, está de volta a administração municipal. Portaria publicada no diário oficial, na edição desta quinta-feira, nomeia Tiago para exercer o cargo de Secretário Adjunto de Projetos e Obras Públicas. No mesmo ato, o prefeito Sérgio Azevedo está nomeando Larissa Lago Paiva de Oliveira para o cargo de Assessora de Expediente Interno na Secretaria de Governo e Maria Neves Gaiga de Toledo, para a Coordenação da Divisão de Vigilância Socioassistencial.