pm

Denúncias dão conta de que a mãe deixou o bebê sozinho e casa e foi para a folia

Um bebê de apenas três meses e quinze dias morreu nesta terça-feira (25) no bairro São José enquanto seus pais são suspeitos de terem deixado o filho em casa sozinho para se divertirem no Carnaval. O incidente ocorreu numa residência da Avenida Fosco Pardini.

Segundo consta em boletim de ocorrência, a PM foi chamada ao Hospital da Santa Casa após o bebê Ryan Ribeiro Fiori lá ter chegado já sem vida, trazido por uma ambulância do SAMU. Questionada sobre a causa morte, a médica da maternidade do hospital, que atendia a criança, alegou que naquele momento não era possível afirmar se a morte havia ocorrido por sufocamento, devido a criança ter sido encontrada de bruços na cama ou se foi por um possível engasgamento.

Para a PM, uma vizinha do casal disse que teria visto mãe e pai sair para o carnaval na última sexta-feira, 21, levando a criança. Ainda segundo o B.O, no sábado, a mesma vizinha, se ofereceu para ficar com o bebê por dó, devido as saídas inconsequentes da mãe nos festejos carnavalescos, que no domingo tomou de conta do bebê entre às 16h e 23h horas, entregando-o ao pai, pois não teria visto a mãe da criança. A vizinha disse ainda que na manhã desta terça-feira, por volta das 06h30, estava dormindo na casa de sua prima e foi acordada pela mãe do bebê, que estava nervosa e agitada, alegando que deveria se ausentar por que a amiga que lhe acompanhava no carnaval estava internada por excesso de ingestão de álcool e que ela iria ter acompanhar ela no hospital, solicitando para tomasse conta do bebê novamente até a sua chegada.

Segundo a vizinha, quando ela chegou na residência do casal, encontrou o bebê enrolado em muitas cobertas e de bruços na cama, já sem responder a nenhum estímulo, momento em que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e levou o bebê para o hospital já sem vida.

Em conversa entre os policiais e o pai da criança, de 25 anos, que se encontrava no hospital, ele disse que na segunda-feira a mãe do bebê, de 17 anos, com quem ele vive, o teria chamado para dar uma volta no centro da cidade sem especificar o que faria, mas devido ter chegado do serviço naquele momento, não quis acompanha-la, já que ela disse que não demoraria. O jovem alegou ainda que a mãe de seu filho não retornou para casa até as 04h10 da madrugada desta terça-feira e como trabalha de padeiro, necessitou deixar o bebê com alguém. Foi então que o rapaz pediu para a vizinha tomasse conta do bebê até que a mãe retornasse.

Para a PM, o pai da criança disse que quando saiu de casa, a criança estava bem, que teria amamentado ela com ela leite em fórmula e dado banho já que o bebê estava com a fralda suja. Consta no B.O que o jovem alegou que durante o tempo em que a mãe da criança estava ausente não tentou ligar para ela por não possuir telefone celular, mas que com a aproximação de sua ida ao trabalho, tentou contato telefônico através de um "orelhão" aproximadamente às 04 da madrugada, onde ela informou que estaria "chegando". Como a mãe de Ryan não chegou, o pai disse que deixou a criança com a vizinha, porém por volta das 06h, quando já estava no trabalho, recebeu uma ligação de sua companheira dizendo que estava em casa com o bebê mas que iria sair e deixar a criança novamente com a vizinha, sendo posteriormente informado apenas da morte da criança.

Para a PM, a mãe do bebê, disse que em comum acordo com seu companheiro foi para os festejos de carnaval na segunda-feira, ficando a criança sobre a responsabilidade do pai. Disse ainda que só conseguiu chegar em sua casa por volta das 04h da madrugada desta terça-feira através de uma corrida de mototáxi, momento em que encontrou o bebê sozinho em casa e de bruços na cama, sob várias cobertas. Questionada se poderia fornecer o telefone do mototaxista, ela disse não ter o número porque havia ligado pela internet, mas não soube informar/explicar para a PM como se faz este tipo de ligação pela internet, ficando os policiais sem possibilidade de confirmar o fato com o mototaxista. Dando continuidade ao relato, a mãe do bebê disse que por volta das 06h30 ligou no serviço de seu companheiro para informar que se encontrava em casa, que estava tudo bem com a criança, mas que brigou com ele por ter deixado a criança sozinha. Aos policiais, a garota ainda disse que teria amamentado e dado banho na criança, deixando-a sentada na cama por um breve momento até se deslocar na casa de sua vizinha para solicitar que ela ficasse com o bebê. A mãe da criança ainda alegou que quando deixou Ryan com a vizinha, ele estava bem de saúde e não sabe sobre o que poderia ter ocorrido.

Todos os envolvidos foram levados para a delegacia. O bebê está foi velado no Velório Municipal e foi sepultado na manhã desta quarta-feira, 26, no Cemitério Parque de Poços.